top of page

Tudo o que você precisa saber para fazer um excelente manejo biológico em sua fazenda

Com o aumento de preços, as dificuldades de importação e também a resistência de muitas pragas com relação a insumos químicos, os biológicos vem ganhando espaço e popularidade por seus preços baixos e principalmente por sua eficiência.


O que é manejo biológico

O manejo ou o controle biológico, consiste no uso de microrganismos e seus metabólitos para suprimir a população de uma determinada doença ou praga, os microrganismos atuam de forma expressiva de maneira preventiva e impedem sequer que a praga se torne abundante e cresça. Além disso, há potenciais de promoção de crescimento de plantas e solubilização de nutrientes.


Mesmo fazendo parte de bactérias, fungos, vírus ou até mesmo insetos, o manejo biológico não agride às plantas e sua aplicação não contribui com riscos para os colaboradores da fazenda, além de serem ótimos agentes na regeneração do solo.


Como fazer manejo biológico eficiente?

Para implementar um programa de manejo biológico é essencial se atentar a alguns fatores para que a aplicação possa ser assertiva e se alcance os objetivos de forma precisa.

  • Faça o reconhecimento dos inimigos naturais da praga-chave

Também da cultura e do comportamento da praga em questão.

A EMBRAPA criou o Programa Nacional de Bioinsumos que visa trazer mais informações aos produtores. Ao baixar o aplicativo Bioinsumos, disponível na App Store e Google Play, é possível ter acesso a um catálogo completo com informações dos produtos disponíveis para cada tipo de pragas e diferentes manejos.

  • Escolha o microrganismo essencial

Estudos e artigos da EMBRAPA apontam diversas pesquisas de diferentes tipos de microrganismos em diferentes culturas, como por exemplo, os fungos nematófagos P. lilacinus, Pochonia e Paecilomyces podem ser recomendados no controle de nematoides-das-galhas em cultivo de cenoura, soja e milho, como alternativa ao controle químico.


Fonte: Controle biológico de Meloidogyne spp. com fungos nematófagos em cultivo de cenoura, Rodrigo Souza Santos e Paulo Roberto Pala Martinelli, disponível na Embrapa aqui


Cada cultura e cada desafio com certas pragas e doenças vai exigir microrganismos diferentes.


Busque utilizar insumos feitos propriamente para a multiplicação. Produtos que não foram produzidos com essa especificidade podem conter impurezas ou tecnologia que impeça a multiplicação do microrganismo de interesse.


  • Estratégia para reprodução

Junto com a empresa de sua confiança, trace uma estratégia para a reprodução dos organismos que serão aplicados na lavoura. A multiplicação pode ser feita em biofábricas OnFarm, que garante mais agilidade e independência para o produtor.


Os insumos básicos para a produção são, ao menos: inóculo, meio de cultura (nutrientes dos microrganismos durante o processo de multiplicação/fermentação), anti-espuma e sanitizante.


Garantir a pureza e não contaminação desses insumos utilizados na produção de bioinsumos é essencial.





  • Aplicação

É sempre importante seguir a estratégia do plano de manejo regenerativo da fazenda para a aplicação dos insumos biológicos, sendo de imprescindível atenção ao armazenamento adequado no período indicado e muita atenção na assepsia.


Os bioinsumos podem ser direcionados para tratores ou tanques de armazenamento em caminhões com proteção isotérmica, antes de serem colocados nos pulverizadores ou em outros maquinários de aplicação agrícola e este processo, assim como a multiplicação, exige diversos cuidados para não haver contaminação externa, que pode influenciar na atividade do microrganismo, fazendo com que a sua função seja prejudicada.


  • Resultados

Após a aplicação, o desempenho do bioinsumo diante a praga ou a doença deve ser acompanhado, dê preferência para assistentes técnicos de eficiência agronômica e empresas que realizam um monitoramento completo para que todo o ciclo seja altamente eficiente.


É importante que este tipo de avaliação ocorra de forma periódica.


Conheça alguns produtos


Os produtos para manejo de pragas podem ser separados em variadas categorias, sendo:

  • Acaricida

  • Acaricida Microbiológico

  • Agente Biológico de Controle

  • Bactericida Microbiológico

  • Feromônio

  • Formicida

  • Fungicida

  • Fungicida Microbiológico

  • Inseticida

  • Inseticida Microbiológico

  • Nematicida Microbiológico


Exemplos de alguns microrganismos e suas funcionalidades

Bacillus thuringiensis var. Kurstaki

Classe: Inseticida Microbiológico

Ideal para o manejo de: Lagarta da soja, lagarta-do-cartucho, lagarta-militar, Curuquerê, Lagarta-falsa-medideira

Beauveria bassiana

Classe: Acaricida Microbiológico, Inseticida Microbiológico

Ideal para o manejo de: cigarrinha-do-milho, Mosca-branca, Bicudo da cana-de-açúcar, Gorgulho-da-cana, Ácaro-rajado, Broca-do-rizoma, Moleque-de-bananeira.

Metarhizium anisopliae

Classe: Inseticida Microbiológico

Ideal para o manejo de: Cigarrinha-das-pastagens, Cigarrinha-das-raízes


Melhor parceiro de negócio


Tenha como parceira para a implementação de insumos biológicos para o manejo de pragas e doenças na fazenda, uma das fábricas mais tecnológicas de bioinsumos da América Latina, com propostas que incorporam produtividade e a sustentabilidade nas fazendas.



323 visualizações0 comentário
bottom of page