top of page

5 dicas mais valiosas para o uso dos bioinsumos em sua fazenda

Se você já deu o grande primeiro passo para o mundo dos bioinsumos em sua fazenda ou está se planejando para aderir a este novo meio de manejo, você precisa saber algumas dicas valiosas para que o seu sucesso esteja cada vez mais garantido.


O que são bioinsumos

Antes de começar, é importante relembrar o que são bioinsumos: Como opção altamente sustentável e segura para o meio ambiente e os agricultores, os bioinsumos são produtos desenvolvidos a partir de enzimas, microorganismos ou macrorganismos. Tendo seu foco principal no manejo de pragas e doenças, no maior aproveitamento dos nutrientes, e promoção de crescimento de plantas, os bioinsumos podem ter como base bactérias, fungos, vírus ou derivados que são naturais e específicos, não trazendo risco para o aplicador, nem para o solo e as plantas (quando utilizados bioinsumos conhecidos, sem classificação de risco ou certificados), além de não gerar resistência tão rápida como acontece com o uso intensivo de químicos.

Como são adquiridos

Bioinsumos podem ser comprados prontos para uso ou produzidos dentro da própria fazenda por meio de biofábricas OnFarm, onde há inúmeras vantagens como uma produção mais assertiva, uma maior economia e ainda mais sustentabilidade.

Como são aplicados

Após a retirada das biofábricas, ou mesmo se utilizados produtos prontos para uso (de prateleira), é feito o direcionamento para as áreas de plantio, que são realizadas por meio de um sistema hidráulico diretamente para tratores ou tanques de armazenamento em caminhões, seguindo para pulverizadores e outros maquinários de aplicação agrícola.


5 dicas para um bom uso de bioinsumos

  • Escolha com base em sua realidade

Fale com especialistas para saber a real necessidade de sua lavoura, já que existem diversos bioinsumos no mercado a base de uma gama de microorganismos variados. Nem todos servirão para o mesmo propósito, por isso, a primeira dica valiosa é planejar ações assertivas e com base em dados reais, sempre calcado em experiência técnica qualificada.

  • Se preocupe com a assepsia

É essencial manter o local de armazenamento sempre limpo, climatizado e esterilizado, desde as biofábricas e tudo o que envolve o manuseio - e isso inclui o uso de EPIs. Tudo isso é crucial para manter a pureza do organismo do qual você está lidando, já que impurezas interferem diretamente na qualidade do bioinsumo.

Todo o processo de sanitização e assepsia deve ser repetido entre uma produção e outra. Por isso, escolha empresas e consultores que te auxiliem em todo esse processo, para garantir resultados expressivos.

  • Exija materiais específicos

Das biofábricas, do sistema hidráulico e até mesmo os caminhões, é preciso que sejam feitos em materiais que evitem a contaminação e auxiliem na assepsia. Busque materiais que sejam feitos 100% em aço inox e caminhões que tenham isolamento térmico para garantir a qualidade do bioinsumo desde sua retirada até a sua aplicação.

  • Fique de olho na validade

Bioinsumos produzidos on farm são armazenados por um período bem curto já que na fazenda não há processo industrial de formulação com estabilizante e envase. O armazenamento de bioinsumos também precisa de condições adequadas de climatização para manutenção da sua viabilidade agronômica. É por isso que, se o uso for cada vez mais frequente, o ideal é sempre optar pelas biofábricas OnFarm para se ter mais controle da produção e aplicação frente ao plano de manejo da fazenda.

  • Faça controle de qualidade

Empresas sérias do setor já possuem em seus pacotes um auxílio ao produtor no controle de qualidade e em um checklist para acompanhar todo o processo: da produção, envase, aplicação e resultados na lavoura.


É possível que o produtor rural alie controle de qualidade realizado na própria fazenda com envio de amostras para laboratórios externos, constatando também a ausência de impurezas e contaminantes, e estabelecendo processos de amostragem.


Informações como estas são extremamente importantes e uma vez direcionado e aplicado na lavoura, o desempenho do bioinsumo deve ser acompanhado por assistente técnico de eficiência agronômica, realizando avaliações periódicas que acompanham a ação dos bioinsumos.




Admirável mundo novo

Novas tecnologias e pesquisas resultam em novos meios de manejo, onde o produtor consegue se desprender do uso de químicos e fazer uma combinação ou substituição por biológicos, aumentando a rentabilidade e utilizando consequentemente, de fontes mais sustentáveis que proporcionam também regeneração do solo.


"O bioinsumo é a ferramenta inteligente que você consegue, investindo pouco, aproveitar o que você tem no solo e tirar uma alta produtividade"


Luiz Pannuti, agrônomo, PHd em Fitossanidade e CPO SoluBio


Simone Vieira, phd em Fitossanidade e gerente de CS da SoluBio, para o podcast SoluCast comenta como as biofábricas OnFarm podem entregar uma nova concepção para os produtores.


"O que é importante é como transferir, colocar essa tecnologia na mão do agricultor, como eu vou empoderar esse agricultor para que ele possa usar todas essas tecnologias, essas ferramentas que estão disponíveis, que são de domínio público. A gente na verdade precisa de facilitadores, são pessoas que vão organizar processos, garantir: olha agricultor, você vai dominar, você vai ter autonomia, mas você também vai ter a garantia de que existe um processo de que existe um cuidado"


A equipe altamente preparada da SoluBio traz os melhores caminhos e soluções quando o assunto são bioinsumos e tecnologia eficiente, A empresa possui a mais moderna fábrica de bioinsumos da América Latina sendo a primeira empresa de biológicos do país a ter um time de Customer Success.


Atualmente, com mais de 500 colaboradores, uma equipe científica com mais de 30 PhD’s e 5 Pós-Doutorados, a SoluBio está presente em grande parte do território nacional com planos de expansão internacional.


159 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page