Como fazer controle biológico?

As pragas e doenças estão entre os fatores que mais causam prejuízos aos agricultores, que, por muito tempo, recorriam a defensivos químicos e pesticidas como recurso de contenção. Entretanto, hoje contamos com pesquisas e técnicas comprovadas sobre uma alternativa mais saudável, sustentável e econômica: o controle biológico.

Com a necessidade de suprir a demanda alimentar mundial e minimizar o impacto ambiental, os produtores rurais também se encontram em um momento de grande interesse em um nicho de mercado crescente formado por consumidores conscientes e dispostos a pagar mais por alimentos produzidos de maneira sustentável.

Esse contexto é mais um reforço à necessidade de buscar um novo caminho para o controle de pragas.

Em que consiste o controle biológico?

O controle biológico (também chamado de manejo biológico) é o uso de métodos naturais para combater espécies consideradas pragas para as plantações.

Quando bem planejado, o controle biológico traz diversas vantagens em relação ao uso de defensivos químicos, já que não polui o ambiente, não tem efeitos nocivos cumulativos e não causa desequilíbrios ecológicos.

Alguns de seus benefícios são:

· produtos agrícolas mais saudáveis e de melhor qualidade;

· redução da poluição do meio ambiente;

· preservação e recuperação do solo;

· maior sustentabilidade para os ecossistemas ao redor da plantação.

Quais são os tipos de controle biológico disponíveis?

Existem três tipos de seres vivos que atualmente são usados como produtos para o controle biológico. A seguir, apresentamos cada um deles, trazendo alguns exemplos.

Predadores naturais

Uma das formas mais eficazes de prevenir a proliferação de elementos indesejados nas plantas é o uso de seus predadores naturais.

Um dos mais comuns e que ganham espaço no Brasil são as joaninhas (Cryptolaemus Montrouzieri), inimigas naturais de diversos tipos de cochonilhas e pulgões. Cada joaninha chega a comer 200 pulgões por dia.

Parasitoides

Parasitas são seres que precisam se alocar em um hospedeiro para desenvolver plenamente seu ciclo de vida. No caso do manejo biológico, podemos usar o Trichogramma e Cotesia que afeta insetos em diferentes fases da vida, sem prejudicar as plantas.

Patógenos

O controle biológico também pode ser realizado a partir do uso de patógenos. Nesse caso, o objetivo é infectar as pragas com vírus, causando a sua morte. Um exemplo é o Beauveria bassiana, um fungo que parasita vários insetos, incluindo os percevejos.

As estratégias para a aplicação dos controladores

Existem 3 estratégias principais para a aplicação dos controladores na plantação, podendo, inclusive, um mesmo agente ser utilizado em mais de uma delas.

Controle biológico natural

Algumas áreas já possuem incidência de predadores naturais das pragas da lavoura. Nesse caso, a atuação do controle será na preservação do ambiente e de condições que permitam a proliferação desses organismos.

Exemplos práticas que poderiam ser aplicadas nesse contexto são o uso selecionado de produtos que não prejudiquem esses controladores e até o cultivo de plantas que os atraiam em regiões próximas, ou até intercaladas com a plantação.

Controle biológico clássico

É utilizado, principalmente em culturas perenes ou semiperenes, como frutas e café. O maior objetivo é combater a incidência de pragas exóticas que não fazem parte daquele ecossistema.

Nesse caso, ao longo do tempo, são reproduzidos em ambiente controlado e liberados predadores dessas pragas, que começam a tomar o ambiente como seu novo habitat.

A solução é efetiva a longo prazo e deve sempre ser acompanhada por estudos que assegurem que não haverá descontroles no ambiente.

Controle biológico aplicado

É o modelo mais utilizado comercialmente. Ele consiste na reprodução em laboratório em larga escala de inimigos naturais que, posteriormente, são liberados de forma massiva nas plantações, causando reduções drásticas e rápidas da população de pragas.

Como realizar o Manejo Biológico Onfarm?

É possível realizar a implantação de biofábricas nas propriedades para reproduzir organismos para o manejo biológico.

Esse tipo de projeto traz excelentes perspectivas para o negócio do produtor, que contará com uma drástica redução no uso de defensivos químicos, que são dependentes de insumos importados e têm alto custo. Além disso, também podem acarretar em seleções de pragas mais resistentes e aumentando as dificuldades do combate.

A Solubio é uma empresa que se apresenta como uma parceria viável, proporcionando todo o suporte para que produtores contem com uma estrutura completa de biofábrica e laboratório em suas fazendas, além de uma rede de apoio formada por pesquisadores especializados na agricultura com bioinsumos de maneira sustentável.

Os resultados desse investimento são a redução de custos entre 40% e 70%, além da obtenção de produtos mais sustentáveis e aderentes ao mercado atual.

Entre em contato com a Solubio e converse com um especialista para entender como começar a produzir utilizando bioinsumos e controle biológico.

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo